Torta de coco

Tadinho do meu blog,  completamente abandonado!!!! Bem, muita água passou embaixo da ponte nesse tempo, então nem vou tentar me explicar. Vamos direto ao assunto: vou postar hoje uma receita da D. Maria, avó da Rafa, que estuda na sala do meu lindão. Depois que temos filhos, nossa vida social muda completamente. Depois que eles entram na escola, passamos a frequentar mais festinhas infantis que jamais tínhamos imaginado. O legal disso é que encontramos com pessoas que têm interesses e preocupações em comum. E, é claro, pra mim a comida é sempre uma afinidade.

Conhecendo essas outras famílias chegamos naquelas receitinhas deliciosas que fazem parte da história de cada uma delas. E foi num encontro com a família da Rafa que ganhei esse presente: a receita dessa torta maravilhosa que D. Maria só faz em ocasiões especiais. Acreditem, a torta sumiu rapidinho!

Creme

2 xícaras de leite

2 colheres (sopa) maizena

1 1/2 xícara de açucar

1 gema

1 colher de manteiga

essência de baunilha

Misture e leve ao fogo até engrosar.

Massa

16 colheres rasas (sopa) farinha de trigo

6 colheres (sopa) açucar

1 colher (sopa) fermento

125 gramas de manteiga

1 ovo

Misture tudo e coloque a massa numa forma redonda esticando com as mãos.

Despeje dentro o creme, uma boa camada de côco ralado, depois uma lata de leite condensado e mais côco ralado.

Leve ao forno até dourar o côco.

Aguardem novidades no blog em breve: novo design, leite caramelado para os dias frios e rosquinha de pinga.

Anúncios

Comer é um barato

Esse mês na Revista Crescer a repórter e blogueira Thais Lazzeri escreveu uma coluna que tem tudo a ver com o esse blog aqui. Fala de família, receitas e lembranças ligadas aos sabores. Se puderem dêem uma olhada (depois eu vejo se posso publicar aqui pois só tem na edição impressa).

Eu indico também o blog dela, Comer é um barato, muito bacana, com dicas e idéias muito legais sobre alimentação.

Vó Lazinha

Hoje seria aniversário da minha vó Lazinha. Já falei dela aqui, foi uma pessoa muito importante na formação dos meu paladares. Aprendi com ela o sabor das receitas simples e a imensa paciência para fazer tudo. Quer dizer, acho que aprendi, hoje em dia a gente quer tudo “fast” né? Bom, quando eu faço as coisas assim, com calma, meu pai logo dispara: “… ê Dona Lazinha!”. Acho que pareço um pouco com ela mesmo. Bom, queria fazer essa homenagem póstuma e agradecê- la por essa lição.

Bolo de farofa?!!

Puxa, recebi uma colaboração muito bacana pro Blog, gente. A Renata, amiga da Déa e agora minha amiga também, mandou 4 receitas clássicas da Dona Ignêz, mãe dela. Adorei Rê! Obrigada por compartilhar as receitinhas e as histórias. Vou publicar uma de cada vez.

Escolhi o Bolo de farofa pra começar pois é o doce preferido da Rê. Além disso, achei lindo o detalhe do livrinho de receitas. Ao lado da receita Dona Ignêz anotou: “Preferido da Renata”.  A Rê conta: “Escutei há pouco tempo, minha mãe dizer que nunca gostou de cozinhar, mas que assim que se casou se viu obrigada a fazer tal coisa. Fiquei muito surpresa com tal revelação, uma vez que tudo que ela faz, fica pra lá de bom.. e olha que não é só opinião de filha…”

Bom pra experimentar no final de semana, né?

Bolo de farofa

Creme
1 lata de leite condensado
1 lata de leite comum
1 colher de sopa de farinha de trigo
1 colher de sopa de margarina
2 gemas
1 lata de creme de leite

Farofa
3 xícaras de chá de farinha de trigo
1 colher de sopa de fermento em pó
1 ovo
1 ½ xícara de chá de açúcar
100 gramas de margarina

Modo de Preparo
Creme
Misture o leite condensado, a farinha misturada no leite, a manteiga, as gemas e a baunilha, leve ao fogo até engrossar, retire do fogo, deixe amornar e junte o creme de leite.

Farofa
Misture todos os ingredientes com as pontas dos dedos, fazendo assim uma farofa.

Montagem
Unte uma assadeira (20×35) coloque metade da farofa, espalhe o creme e cubra com o resto da farofa, coloque em forno médio, até que asse. Depois corte em retângulos.

Rabanada!!!

Em época de Natal uma das poucas coisas que vale a pena é ter a família por perto e muuuuita comida deliciosa! (Nem preciso falar que o que não vale a pena são as compras, as pessoas histéricas nas ruas, muitos compromissos de final de ano, etc, né?)

Minha amiga Déa me mandou essa receita e eu lembrei da Vó Hermínia, que gostava muito da rabanada tradicional, frita mesmo. Ela já era bem velhinha quando nasci e depois de 9 filhos e 30 netos acho que ela não tinha paciência mais de cozinhar… Gostava mesmo de comidas leves: miojo, pão com banana e rabanada!

Bom, vamos provar essa novidade né?!!!

* Ah, desculpem pela demora em atualizar o blog… ainda estou acostumando… :-)

 Rabanada ao forno
 
 Ingredientes:
– dez pãezinhos amanhecidos (eu trocaria por uma bengala – ainda vende bengala?)
– uma lata de leite condensado
– a mesma medida de leite comum
– dois ovos inteiros
– açúcar e canela para polvilhar
– margarina para untar a forma

Modo de preparo:
Para começar, unte a assadeira e fatie os pães. Misture o leite condensado com o leite e os ovos e bata ligeiramente – pode bater os ovos primeiro com garfo.

Passe cada fatia do pão nessa mistura, escorra o excesso de líquido e ponha na assadeira untada. Polvilhe o açúicar e a canela em pó e leve ao forno médio a 180 graus, durante 30 minutos.

Dica: é melhor tirar o pão da forma ainda quente, para ele não grudar.

Nhocão da D. Salete

É só pensar nessa gostosura, feita pela minha mãe desde que eu era criança, e minha boca enche de água. E minha cabeça enche de lembranças. Sempre lembro de todos à mesa no domingão conversando e enchendo a pança com o nhocão e sempre acompanhado de guaraná ou soda. E depois aquele cochilo tradicional no sofá. É um prato trabalhoso, mas menos do que fazer todas as bolinhas do nhoque tradicional. Espero que vocês se arrisquem e experimentem pq é delicioso!

Ingredientes:

2 kg de batata

10 colheres de farinha de trigo (mais ou menos)

1 ovo

queijo ralado

farinha de rosca

água

sal

100g de presunto

100g de muzzarela ou queijo prato

1 pano branco bem limpinho e fervido na água com vinagre

(o molho pode ser ao sugo ou bolonhesa)

Cozinhe a batata sem casca na água com sal. Retire, deixe esfirar e depois esprema. Acrescente o ovo e vá colocando a farinha até ficar consistente (dependendo da batata pode ser um pouco mais ou menos). Se quiser use um pouco do queijo ralado e amasse tudo bem. Estique o pano numa mesa, polvilhe com farinha de rosca e abra a massa em cima até uma espessura de cerda de 2 cm. Coloque por cima uma camada de presunto e uma de queijo. Com a ajuda do pano, enrole em formato de rocambole (é um processo delicado pois a massa é molinha). Depois, use o pano para embrulhar por fora o nhocão e amarre bem nas 2 pontas. Coloque numa panela grande com água fervente e deixe cozinhar por cerca de 40 min. Retire, deixe esfriar um pouco e coloque já na travessa em que vai servir (tenha cuidado também pois a massa pode desmanchar). Coloque o molho bem quente e polvilhe queijo ralado. Tá pronto!!! Chame pelo menos mais umas 6 pessoas pra te ajudar a comer :-)

Design delicioso

Minha amiga Aninha, designer de mão cheia, cozinhou um layout muito apetitoso para o blog. É esse que vocês poder ver aí em cima. Ele está bem no tom que imaginei pro blog: de dar água na boca! Brigada Aninha!